OTHER TYPES OF WORKS

  • 08-1984-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1983
  • 05-2009-capa-globalizacao-e-competicao
  • 2014-capa-developmental-macroeconomics-new-developmentalism
  • 01-2021
  • 15-1968-capa-desenvolvimento-e-crise-no-brasil-1930-1967
  • 04-2016-capa-macroeconomia-desenvolvimentista
  • 13-1988-capa-lucro-acumulacao-e-crise-2a-edicao
  • 03-2018-capa-em-busca-de-desenvolvimento-perdido
  • 09-1993-capa-economic-reforms-in-new-democracies
  • 06-2009-capa-construindo-o-estado-republicano
  • 16-2015-capa-a-teoria-economica-na-obra-de-bresser-pereira-3
  • 05-2009-capa-mondialisation-et-competition
  • 11-1992-capa-a-crise-do-estado
  • 2006-capa-as-revolucoes-utopicas-dos-anos-60
  • 10-1998-capa-reforma-do-estado-para-a-cidadania
  • 05-2010-capa-globalixacion-y-competencia
  • 17-2004-capa-em-busca-do-novo
  • 10-1999-capa-reforma-del-estado-para-la-ciudadania
  • 12-1982-capa-a-sociedade-estatal-e-a-tecnoburocracia
  • capa-novo-desenvolvimentismo-duplicada-e-sombreada
  • 05-2010-capa-globalization-and-competition
  • 09-1993-capa-reformas-economicas-em-democracias-novas
  • 02-2021-capa-a-construcao-politica-e-economica-do-brasil
  • 01-2021-capa-new-developmentalism
  • 07-2004-capa-democracy-and-public-management-reform

Helio Bicudo, um republicano radical

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Nota no Facebook, 1.8.2018

.


Morreu Hélio Bicudo, um homem admirável que, porém, manchou sua biografia ao propor e defender o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Eu o conheci bem e o admirava pela coragem cívica e a firmeza de caráter. Quando o PT foi criado, ele foi seu fundador, enquanto que eu, ainda que tentado a seguir o mesmo caminho, continuei no PMDB de Montoro, Covas e Ulysses Guimarães. Porque o PT de então era radical, defendia um socialismo impossível, e eu nunca fui radical. Hélio Bicudo era um radical. Para ele era tudo ou nada. A verdade era uma só; a justiça, uma só. Mas as coisas não são tão simples assim. Nem a verdade, nem a justiça são plenamente alcançáveis. Precisamos lutar por elas, porque são valores humanos fundamentais, mas com prudência, com cautela, porque podemos ver as coisas sob muitos ângulos que são verdadeiros, porque a justiça é um ideal tão belo quanto impossível.

Decididamente, não devemos ser moralistas. Devemos observar e defender os princípios morais, mas jamais nos colocarmos na posição de árbitros da moral, porque ao fazer isso seremos arrogantes e cometeremos mais erros que acertos. O papel de guardião da moral é problemático. Ao invés de moralistas precisamos ser republicanos; precisamos, sim, ter a coragem, a coragem política de adotarmos posições que sabemos consultarem o interesse público, mas conflitam com nossos interesses. Hélio Bicudo foi um republicano, mas seu radicalismo moral acabou por confundi-lo, e ele terminou sua vida política cometendo um grande erro. Assinalo este fato, mas respeito a grande figura pública que ele foi. O Brasil precisa enormemente de cidadãos com espírito republicano, que colocam o interesse público acima de seus próprios interesses, e Hélio Bicudo foi um homem assim.