PUBLICIDADE  
 
 
 
HOME SOBRE BRESSER-PEREIRA PÁGINA NO FACEBOOK
BONS ARTIGOS QUE LI BONS FILMES QUE ASSISTI

BRAZILIAN JOURNAL OF POLITICAL ECONOMY

OLHAR O MUNDO FALE CONOSCO
 
  Tipos de trabalhos  
 

Quem é/Who is

A guide to my work
Currículos / CVs
Short cv & bio
Textos autobiográficos
Sobre Bresser-Pereira

Tipos de Trabalhos

Livros
Livros na íntegra
Livros organizados (edited)
Papers
Pequenos textos, prefácios, etc.
Texto para Discussão
Artigos de jornal & Entrevistas
Principais Entrevistas
Notas no Facebook
Cartas
Críticas de Cinema
Documentos & Relatórios
Programas / Syllabus
Apresentações / Slides
Vídeos e Áudios





Outros idiomas

Works in English
Weekly Columns
Oeuvres en Français
Trabajos en Español

Método

Método científico

Novo Desenvolvimentismo

Novo Desenvolvimentismo (textos básicos)
Desenvolvimentismo Clássico (textos básicos)
Novo Desenvolvimentismo (economia política)
Novo Desenvolvimentismo (teoria econômica)
Novo Desenvolvimentismo (aplicado)
Novo Desenvolvimentismo (contribuições e críticas de terceiros)

Sociedade-Capitalismo

Teoria social - textos básicos
Teoria social (todos)
Capitalismo e modernidade
Classes e tecnoburocracia
Revolução Capitalista e ...
Revoluções, Revoltas e Movimentos
Globalização
Organização administração
Estatismo e URSS

Política

Teoria política - textos básicos
Teoria política (todos)
Teoria do Estado
Sociedade civil
Republicanismo e direitos de cidadania
Teoria da Democracia
Ciclos do Estado
Populismo político e econômico
Nação e nacionalismo
Social democracia e esquerda
Neoliberalismo e globalismo
Interpretações do Brasil
Pactos políticos e coalizões de classes - Br
Democracia no Brasil
Teoria da Dependência
História intelectual
Perfis individuais
Política Externa - Br
Burocracia pública - Br
Empresários e administradores - Br
Reforma da universidade
Conjuntura Política - Br
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil

Economia

Teoria econômica - Textos básicos
Teoria econômica (todos)
Teoria do Desenvolvimento Econômico
Crítica da teoria neoclássica
Desigualdade e Distribuição
Teoria macroeconômica
Política e Economia
Câmbio e poupança externa
Câmbio e Doença Holandesa
Câmbio e crescimento
Crises econômico-financeiras
Dívida externa
Investimentos e taxa de lucro
Inflação
Inflação inercial
Comércio e integração
Economia mundial
Crise global de 2008
Desenvolvimento econômico - Br
Macroeconomia do Brasil
Populismo econômico - Br
Desindustrialização - Br
Crise fiscal do Estado - Br
Planos de estabilização - Br
Plano Bresser
Quase-estagnação desde 1980 - Br
Conjuntura Econômica - Br

Países e regiões

Relações internacionais
América Latina
Argentina
Estados Unidos
Europa

Trabalhos de terceiros

Bons artigos que li recentemente
Reforma Gerencial - Terceiros
Cursos
Debate sobre "Crescimento com Estabilidade"(2001)
Notícias e Comentários

Ações / Ministérios

Ministério da Fazenda
Plano Bresser
MCT Ministério da Ciência & Tecnologia
Fundação Getulio Vargas, São Paulo

MARE - Ministério da Reforma do Estado

Documentos da Reforma
Reforma Gerencial - Teoria
Reforma Gerencial - Brasil
Reforma Gerencial - Terceiros
Agências Executivas e Reguladoras
Organizações Sociais
Gestão da Saúde
Gestão da Educação
Implementação Nível Federal
Implementação São Paulo
Implementação Minas Gerais
Implementação Outros Estados
Bibliografia da Reforma da Gestão Pública
Cadernos MARE
América Latina: Declaração de Madri (Clad)
Leis sobre Organizações Sociais
 
 
 

 

Guido Mantega

Luiz Carlos Bresser-Pereira
Nota no Facebook, 15.5.2017

Logo depois de haver saído do Ministério da Fazenda, encontrei meu colega da Fundação Getúlio Vargas, Guido Mantega, no restaurante dos professores em São Paulo. Disse-me ele que agora precisava ganhar dinheiro em consultoria, porque se descapitalizara nos quase doze anos nos quais serviu o Brasil como ministro.
De algum tempo para cá ele foi vítima de delatores premiados. Hoje, na Folha, na primeira entrevista que concedeu em três anos, Guido afirmou que essas essas delações “são uma humilhação, minha vida virou um inferno”. Conhecendo como conheço Guido, posso imaginar quão ferido ele se sente na sua honra.
Também hoje, confirmando meu post de ontem segundo o qual os delatores premiados só têm sua delação aprovada se acusarem quem a operação Lava Jato entende que deve ser acusado, o Valor publicou trechos de depoimento que Guido Mantega prestou ao TSE, do qual transcrevo algo que todos os brasileiros deveriam saber:
"Mantega afirmou ainda se tratar de uma 'mentira' que a Medida Provisória do Refis, encaminhada ao Congresso em 2009, teria sido feita para beneficiar o grupo Odebrecht. Marcelo contou em delação premiada que fez uma doação de R$ 50 milhões à campanha de Dilma, por meio de caixa 2, como contrapartida à votação da MP. 'O Refis da Crise foi feito justamente porque o país se encontrava enfrentando a grande recessão mundial que afetou todos os países'. O ex-ministro sustentou que o interesse das empresas seria, na verdade, a aprovação de um jabuti na Medida Provisória 460, que criava o Minha Casa, Minha Vida. 'Eles queriam uma saída... Eles queriam que a gente fizesse uma medida que pudesse eliminar esses R$ 50, R$ 60 bilhões, eles diziam que iam quebrar.' O jabuti isentava as empresas do pagamento dos créditos-prêmio. Segundo Mantega, quando a MP foi para sanção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ele recebeu 'umas 12 cartas' de empresas, pedindo que não vetasse o dispositivo - mas Lula acabou vetando o jabuti".

 


  

 

 

 

© Direitos Autorais Bresser-Pereira
São Paulo - SP | ceciliaheise46@gmail.com

 

Desenvolvido pela E-Xis | www.e-xis.com.br